segunda-feira, 1 de outubro de 2012

SÍNDROME DE ALIENAÇÃO PARENTAL: UM MAL QUE DEVE SER COMBATIDO por Anna Pryscylla Calheiros Ribeiro

Boa Noite!!! Hoje nosso blog recebe uma visita especial, como solicitado por alguns emails o tema da SAP - Síndrome de alienação parental fui em busca de alguém competente para nos trazer uma visão geral do assunto, A Anna Pryscylla foi uma amizade especial que conquistei e alguém por quem tenho muita admiração principalmente pelo respeito que ela tem a própria profissão, espero que todos gostem e para os interessados em mais informações ou consultas logo no final segue todos os dados dela! 
Sem mais arrodeios... com vocês... a Psicóloga Anna Pryscylla!!
Logo após a separação, em que o nível de conflito é intenso, os pais se encontram emocionalmente debilitados, principalmente quando padecem de sentimentos de abandono e rejeição, influências advindas do divórcio que ainda não foram adequadamente superadas, podendo desencadear comportamentos patológicos como ideias persecutórias/paranoides. E eis um ambiente favorável para o  genitor guardião usar seu filho como instrumento de vingança contra o outro.
É quando a ideia de que se deve primar pelo melhor interesse dos filhos é corrompida que se manifesta a Síndrome de Alienação Parental (SAP). Esse processo consiste em programar uma criança para que rejeite um de seus genitores sem justificativa, gerado pelo comportamento doentio e calculista do genitor que detém a guarda dos filhos.
São exemplos de sintomas de SAP: obstrução do contato, desvalorizar e insultar o outro progenitor na presença dos filhos, tomar decisões importantes a respeito dos filhos sem consultar o outro (escolha de escola, religião, etc.), organizar várias atividades com os filhos durante o período que o outro progenitor deve normalmente exercer o direito de convivência e, em casos mais graves, a falsa denúncia de abuso sexual. Com essas atitudes a criança é levada a rejeitar o genitor que ama, o qual se torna um estranho, e o vínculo afetivo entre os dois é progressivamente destruído –  e quanto maior o hiato entre eles, mais difícil de ser ultrapassado.
Induzir a SAP é uma forma de abuso psicológico. Os efeitos nas crianças podem ser vários: depressão crônica, incapacidade de adaptação em ambiente psicossocial, transtornos de identidade, sentimentos incontroláveis de culpa, isolamento, falta de organização, dupla personalidade, inclinação ao uso abusivo de álcool e de drogas e, em casos mais graves, até o suicídio.
Em nosso ordenamento jurídico já existe a Lei nº 12.318, de 26 de agosto de 2010, que prevê e pune a Alienação Parental, segundo a qual o genitor alienador sofre as seguintes punições:
ñ    Advertência ao alienador;
ñ    Multa;
ñ    Suspensão da autoridade parental;
ñ    Alteração da guarda ou sua inversão entre outros;
ñ    Acompanhamento psicológico e/ou biopsicossocial entre outros;

O conhecimento da Síndrome de Alienação Parental possibilita prevenir sua ocorrência, uma vez que é um fenômeno comum em nossa sociedade e responsável por muitos danos nas relações entre pais e filhos. Ainda que abalados pelo processo de divórcio, os genitores devem, com maturidade, transmitir segurança aos seus filhos, mostrando que, mesmo separados, estão à sua disposição.

CURRICULUM
Anna Pryscylla Calheiros Ribeiro
Psicóloga Clínica e Jurídica - CRP: 15/2729
Psicologia do Setor de Psicologia do Fórum TJ/AL, há 5 anos e  4 meses
Especialista em Psicologia Jurídica

Consultório na Clínica Espaço Gente I, Rua Íris Alagoense, 520, Farol, Cep: 57051-370, Maceió-AL

Atendimento Clínico e Domiciliar: Criança, Adolescente, Adulto e Idoso
Orientação vocacional / Profissional

Telefone para contato: 9607-6015 / 9108-7679

E-mail: prycalheiros@gmail.com e pryscyllacalheiros@hotmail.com


Por hoje é só!! Mais continuo aqui em busca de temas interessantes para uma discussão neste espaço!! Espero que tenham gostado, e Pry , muito obrigada pela sua contribuição!


Sugestões , dúvidas ou reclamações?
orientapais@hotmail.com

5 comentários:

  1. Muitoo bom! A Pry é uma profissional muito competenteee!

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que a Pryscylla era psicóloga. Estudamos juntos no Anchieta (anos atrás). Sucesso Pryscylla!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oxee será que ela estudou comigo tb?? eu era do anchieta!!

      Excluir
  3. Eu estudei com ela no ensino médio. Você não era da nossa turma Rafa! hahahaha

    ResponderExcluir